Perene

Friday, December 30, 2005

Prólogo

Quando recebi o convite para fazer o prólogo deste livro me senti muito honrado. Não só pela admiração que tenho pelo autor como também pelo fato de receber dele essa consideração, o que interpretei ser um reconhecimento à nossa velha amizade.
Laços familiares nos unem, tendo em vista que Paulo Brasil é casado com irmã com a qual mais me identifico e por quem nutro uma especial amizade.
Paulo é uma pessoa de rara sensibilidade e bela simplicidade. Tem o estado de espírito do bonachão, do intermediador, do constante, aquele que hoje se apresenta exatamente com os mesmos atributos e princípios que demonstrava ter 30 anos atrás.
Posso descrevê-lo como uma personalidade bem constituída, que trás consigo a essência dos habitantes do nosso país.
É o brasileiro da boa prosa, hospitaleiro, que ama todos os aspectos culturais do seu país, sem se descuidar de valorizar o latente potencial do Brasil proveniente da suas imensas riquezas inexploradas.
Ingressou na nossa família bem jovem, durante o pior período que o Brasil já viveu...A revolução de 1963. Muito jovem eu pegava uma carona nos jornais "Pasquim" por ele comprados e lidos na minha residência.
Paulo é admirado por todos nós seus familiares aqui do Rio de Janeiro e pela sua grande e inesquecível família do Recife.
Essa personalidade muito rica gerou uma base para que os seus filhos se tornassem jovens bem instruídos e bem estruturados. Considero o autor um tipo raro de pessoa, pois, apesar do convívio de quase 4 décadas, até a presente data não tive a oportunidade de conhecer um único inimigo que ele tivesse constituído.
Por isso, o livro ora apresentado, é um convite irrecusável para aqueles que desejam ser presenteados com horas agradáveis de leitura.
Paulo expõe suas experiências, suas emoções, sua opinião, suas reflexões em pequenas crônicas onde não falta espaço para homenagear aqueles entes mais queridos e homenagear as "suas terras", a atual e a do passado, uma vez que nunca se permitiu o desleixo de perder de vista as suas raízes, formadora desta admirável personalidade.
Atrevo-me a dizer que este livro é um ato de ousadia não esperada pelos amigos que têm o privilégio de com ele conviver.
O autor abre as páginas de suas memórias, manifesta os seus conceitos e me tornou engrandecido culturalmente, sem perder nessas linhas a simplicidade que enriquece a sua personalidade.


Gilmar José Santana de Barros
Presidente do
www.bulldogclubdobrasil.com.
e-mail= ultrabull@carving.com.

1 Comments:

  • At 5:56 PM, Blogger brasil said…

    Adna Mello

    28/09/11

    para mim
    Oi Paulinho, comecei a ler seu livro, embora não esteja com o tempo que necessito para isso, mas a curiosidade e' muita.
    O começo esta divino, irei comentar nas paginas do livro futuramente, pois sou péssima escritora, ate mesmo para fazer um comentário.
    Mas so quero adiantar que vc daria um excelente escritor, se assim o desejasse. Verdade. Vc deixa a gente meio que confusa no inicio, ate que, pensamos, desvendar a trama da historia.
    Depois precisamos reler o texto varias vezes buscando, na realidade, aquilo que vc, talvez, queira dizer, mas deixou nas entrelinhas.
    Seu cunhado o descreveu muitissimo bem, nao sei se ele me deixou uma brexa para escrever algo mais a seu respeito. Irei reler o prologo para ver se ele esqueceu de acrescentar alguma coisinha. rsrs.
    PARABENS pelo livro, o Sr. Sebastiao Epitacio de Lima e a Dona Eufrasia devem estar muito orgulhosos do seu produto final.
    Bjs
    Ad

     

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home