Perene

Thursday, December 29, 2005

Amada / Amante

Conheci-te ainda pequeno, muito pequeno. Do colo da minha mãe, tu parecias grande, bonita. Banhas-te no rio e no mar com tua nudez inocente e curvas provocantes; brilhante ao Sol e aconchegante na chuva;
Ora estranha, mas muito agradável. Cresci e fiquei adolescente e meu relacionamento contigo ficava a cada momento mais amoroso. Agora, sem pequenez, sem decência, sem vergonha e sem pudor.
Com muito atrevimento, com muita liberdade, sem medo de ser feliz, como dizem os vermelhos. Naquela ocasião te curtia de manhã, de tarde, de noite e até de madrugada. Possuía-te abusadamente como se fosse o único dono e entregava-me a ti de corpo e alma.
Tenho ciúme do teu passado e do teu futuro. Aliás, eu quero que sejas a última a tocar meu corpo após a morte. Um dia deixei a vida me levar e fui entregue nos braços de outra maravilhosamente bonita. Todo dia ela me seduzia e me conquistava com seu charme, sua beleza e seus encantos e tudo fazia para que eu te esquecesse.
No começo foi sofrível e com o passar dos anos tu te tornastes uma pequena e boa lembrança. Um dia a vida me levou novamente, agora de volta para teu seio. No início me senti estranho, mas tu me trataste tão bem que me senti amado de novo.
Estás muito diferente, mais jovem, mais bonita, muito atraente. Fantasio-me de Romeu para passar o carnaval contigo; visto-me de matuto para passar as festas juninas contigo; embriago-me com tua emoção nas festas natalinas e me sinto enciumado quando te vejo ser amada por muito mais gente.
Agora estou feliz com minha vida dupla: parte do ano estou com minha amada e a outra parte, com minha amante.
Daqui da querida Cidade do Rio de Janeiro eu grito bem alto:
Eu amo Recife!

6 Comments:

  • At 9:01 PM, Blogger brasil said…

    Recebí de Davidvecor, via e-mail

    PREMATURA AUSÊNCIA®

    Qual gosto amargo persistente
    Da vida dela, agora ausente
    Se o tempo corre intermitente
    Faz-me aqui só, tão descontente

    Minh’alma triste e já cansada
    Chora seu par, a sua amada
    Anseia partir-se e despojada
    Querer só ela, querer mais nada.

    E para traz fique a fria hora
    Desta ausência, dor tão danada
    Que rebatida, tentei pôr fora.

    Por fim em débil estado agora
    Troco esta vida d’hoje apartada
    P’ra juntar-me a ela, ir-me embora.

    DAVID®

     
  • At 5:37 AM, Blogger Ana Barreto said…

    MEU ANJO, QUE LINDA DECLARAÇÃO DE AMOR ÀS CIDADES DA SUA VIDA! ALGUM DIA DEIXAREI FLUIR OS ACORDES DE UM CANTO À MINHA NATAL, QUE EU TANTO AMO... BEIJOS E PARABÉNS!

     
  • At 6:21 AM, Blogger brasil said…

    Ana paula & Godô (Via Orkut)
    Paulo Brasil
    Nesse exato momento, só tenho uma palavra para definir esse poema Declaração de amor...

    PARABÉNS!!!!!

    Você me emocionou com suas palavras.

     
  • At 6:23 AM, Blogger brasil said…

    João Paulo
    E esse texto, já tem edição a vista ou já é uma?
    Parabéns!
    Espero ser presenteado novamente aqui nesta comunidade...

     
  • At 8:50 AM, Blogger brasil said…

    Lucinha
    Que bonito, Paulo!!
    Já estou esperando o próximo capítulo, visse!

     
  • At 11:49 AM, Anonymous Marina said…

    Emocionante tio Paulo essas suas palavras!!!

     

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home